Uma Questão de Semelhança
Francisco Lourenço Andrade, meu avô, chegou ao norte do Espirito Santo, precisamente no Córrego de Santo Antonio, hoje Monte Senir em 1924. Vinha Fugido da Bahia, onde, com auxilio de um facão “jacaré”, tinha resolvido alguns “problemas”. Com enorme dificuldade, morando em tapera feita de casca de palmito e dormindo em cima de couro de catete, uma espécie de porco do mato, criou seus doze filhos. O tio Onofre Andrade, o sexto na ordem de nascimento, não se sabe o porquê, foi o único a nascer com o dom para a musica. Desde a mais tenra idade já tocava um instrumento musical. Aprendeu tocar sozinho no meio das matas, com maestria: violino e acordeon.

Evangélico, gaba-se até hoje, de ter sido eleito em 1941, o primeiro Regente do Coral da Igreja Batista de Monte Senir, onde utilizando o Cantor Cristão e Coros Sacros, hinários disponíveis na época, passava os dias solfejando. Quando já casado e tendo nascido o seu quarto filho, resolveu homenagear o autor dos seus hinos preferidos o inglês Bill Smith.

Munido dos documentos necessários para o registro dirigiu-se ao Cartório:

Eu quero registrar meu filho. Disse ele.

- Qual é o nome que o Sr quer botar no seu filho. Perguntou-lhe o auxiliar de escrevente.

Tio Onofre, embora dominasse muito bem a música, tinha problemas sérios com as letras, era semianalfabeto, e diante da pergunta, conseguia se lembrar das melodias mas o nome do autor embolava na sua cabeça. Entretanto, depois de muito pensar, resmungou um nome cuja sonoridade se assemelhava ao de seu ídolo.

O quê????? Indagou-lhe o escrevente, que também não era muito letrado e se viu diante de enorme problema.

O impasse estava criado.

Um não sabia dizer e o outro não sabia escrever.

Após várias horas de calorosa discussão, chegou-se ao denominador comum que o menino se chamaria ITSEN ANDRADE. Satisfeitas as partes, meu Tio, ainda visivelmente acabrunhado, regressou para casa e contou aos parentes o nome registrado.

Mas esse não é o nome do seu autor preferido. Disse-lhe Tia Almerinda, sua esposa. Não é, mas é MAIS OU MENOS. Respondeu ele, passando a impressão que estava satisfeito com aquele nome e que não queria mais discussão.

Hoje, passados alguns anos, aquele menino que herdou o talento musical do pai, integra a Banda M3 (Musica Gospel), é também funcionário do BANCO DO BRASIL em Curitiba, onde curiosamente, não é conhecido pelo nome de ITSEN ANDRADE, mas sim, pelo carinhoso apelido de “MAIS OU MENOS”. E a vida continua....

Por: Cecílio Andrade de Oliveira

VOLTAR!